fbpx

Descubra qual o melhor regime tributário para sua transportadora

“Em resumo, não há como fugir de toda essa complexidade, mas há como tornar a missão menos árdua. Com estratégia e inteligência, as transportadoras podem superar os desafios e crescer de maneira saudável e sem débitos com a Receita Federal.”
Diego Cintra

Diego Cintra Feijó - Contator

Adriano Jacometo - Corretor de Seguros

Em um bate papo com o o contador especialista em transportadora, Diego Cintra levei alguns questionamentos sobre qual o melhor regime tributário para as transportadoras para poder  economizar com a operação de transporte de carga , esta é uma dúvida sempre recorrente no segmento de transporte .

A tributação em transportadoras: entenda o cenário e os desafios.

A complexidade e a quantidade de tributos a serem pagos costumam se destacar entre as principais queixas de nossos empresários. Afinal, como fica essa questão no ramo de transporte de cargas?Assim como em todos os empreendimentos do país, os gestores e empresários do setor precisam estudar com muita atenção seus relatórios, registrar informações financeiras e contábeis, emitir documentos fiscais e ficar atentos a situações que podem proporcionar uma redução legal dos encargos tributáriosEm resumo, não há como fugir de toda essa complexidade, mas há como tornar a missão menos árdua.
Com estratégia e inteligência, as transportadoras podem superar os desafios e crescer de maneira saudável e sem débitos com a Receita Federal.

“Em resumo, não há como fugir de toda essa complexidade, mas há como tornar a missão menos árdua. Com estratégia e inteligência, as transportadoras podem superar os desafios e crescer de maneira saudável e sem débitos com a Receita Federal.”
Diego Cintra

Você sabe quais são os principais tributos que a sua transportadora está obrigada a pagar?
Essa é uma informação essencial para o seu planejamento tributário e ajuda a se manter em dia com o Fisco.
Mesmo que não tenha formação na área, é importante que todo gestor e empresário do ramo conheça melhor esses impostos, contribuições e taxas. Por isso, preparamos um breve resumo. Acompanhe!

IRPJ (Imposto de Renda Pessoa Jurídica).

IRPJ é o Imposto de Renda das empresas. Trata-se de um tributo federal de responsabilidade de todos as pessoas jurídicas em atividade no país, exceto o MEI (Microempreendedor Individual), que é isento. As empresas de transporte de cargas arcam com uma alíquota de 8%.

CSLL (Contribuição Social sobre o Lucro Líquido)

A CSLL é mais um tributo federal pago pelas empresas. O dinheiro arrecadado é destinado ao financiamento da Seguridade Social, que inclui saúde pública, previdência e assistência social. Destaca-se que, no Lucro Real, a alíquota para transportadoras é de 9%. Já no Lucro Presumido, é de 12%.

PIS (Programa de Integração Social)

O PIS é um tributo federal que incide sobre o faturamento mensal da empresa e deve ser pago até o dia 15 do mês subsequente. A alíquotas variam de 0,65% a 1,65% e as verbas arrecadadas ajudam a financiar o Seguro Desemprego, por exemplo.

Cofins (Contribuição para o financiamento da Seguridade Social)

A Cofins é um tributo federal que também está relacionado à Seguridade Social e incide sobre o faturamento mensal das transportadoras. Suas alíquotas variam de 3% a 7,6%, a depender do regime escolhido.

ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços)

O ICMS é um imposto estadual cobrado sempre que o fato gerador ocorre. Ou seja, sempre que uma mercadoria circula ou o transporte de cargas é realizado, há a aplicação de uma alíquota sobre o valor do produto ou serviço.

ISS (Imposto sobre Serviços)

O ISS é um imposto municipal que deve ser pago por profissionais autônomos e demais prestadores de serviços. Lembrando que cada município tem sua lei e suas próprias regras, sendo importante consultar as que estão em vigor em sua localidade.

Regime tributário: conheça as opções à sua disposição.

Agora que você já conheceu os principais regimes  para uma transportadora, é hora de entender um pouco mais sobre os regimes de tributação.

Atualmente, nosso Código Tributário oferece aos empresários três opções básicas:
Lucro Real;
Lucro Presumido;
Simples Nacional
.

Lucro Real

O Lucro Real é um regime tributário que se baseia nos ganhos reais da empresa. Por esse motivo, todos os empreendimentos que tiverem um faturamento superior a R$78 milhões devem, obrigatoriamente, contribuir de acordo com suas regras.

Como o montante a ser pago é calculado com base no lucro (receitas menos despesas), é preciso muita organização e atenção para não cometer erros, sofrer prejuízos ou ser penalizado com multas.

Lucro Presumido

O Lucro Presumido, como o nome sugere, não leva em consideração o lucro real da sua empresa. Para a definição dos valores a serem recolhidos, é utilizado um valor fictício e isso acaba sendo vantajoso para muitos empresários — no caso de transportadoras de cargas, essa alíquota é de 8% sobre a receita bruta.
Mas, atenção! Apenas os negócios com faturamento inferior a R$78 milhões podem optar por esse regime. Lembrando que ele tem menos obrigações acessórias e exige um controle menos rígido de documentos e finanças.

Simples Nacional

O Simples Nacional foi criado para facilitar o recolhimento de impostos por empresas de pequeno porte e microempresas. Sua principal característica é a unificação de diversos tributos em uma única guia, sendo que a alíquota varia conforme o faturamento — no caso de transportadoras, de 6% a 33%.
Vale a pena destacar que esse é o regime escolhido por grande parte das empresas brasileiras. No entanto, ele só pode ser adotado por negócios que tenham um faturamento de até de R$4,8 milhões.

Descubra qual o melhor regime tributário para sua transportadora

É preciso muita cautela para responder a essa pergunta, pois não existe uma fórmula única para todos. Como o valor a ser pago depende de seu faturamento, é essencial que cada caso seja avaliado separadamente.
Não há como encontrar o regime mais vantajoso sem fazer cálculos e simulações. Daí a importância de se contar com um sistema de gestão de transportadoras eficiente e do apoio de profissionais capacitados e com experiência no assunto.
Uma escolha errada pode representar prejuízos durante todo o ano, já que uma nova mudança de regime só será possível no próximo exercício.

Por isso, seja responsável, organize sua contabilidade e estude bem antes de tomar uma decisão.
Em síntese, se a sua transportadora teve um lucro maior do que a alíquota presumida, é vantajoso aderir ao Lucro Presumido.

Porém, se o lucro estiver abaixo dessa margem, é mais interessante escolher o Lucro Real.
Lembrando que o Simples Nacional também exige análises.

Ficou com muitas dúvidas e normal , vamos conversar pessoalmente e ajudar a sua transportadora na escolha do regime tributário , somos parceiros da Jacometo Corretora de Seguros ,que e especialista em atender corretora e estamos sempre em buscas de trazer economia e atendimento personalizado 

Fale Conosco!
Deixe sua mensagem e descubra como podemos ajudar.

Diego Cintra Feijo -Contador  Telefone: (43) 3344-0677 Celular: (43) 98409-5618

Adriano Jacometo Celular: (43) 99914-5000


WhatsApp chat